sábado, 13 de novembro de 2010

Rosa dos Ventos – Rimando Contra a Maré (Diapasão, 1983)



sacar

01. Cantiga de Amor
02. Canção Para Maria
03. Baladilha
04. Em Jeito de Sapateia
05. Novo Amanhecer
06. O Voo do Pássaro
07. Invenção
08. O Espanto das Caravelas
09. Feira Antiga, Feira Nova
10. Vai de Roda
11. Rimando Contra a Maré

Telmo Palma – viola da terra, viola eléctrica, harmónica
João Miguel – viola de 12 cordas, viola de 6 cordas
Tólis - baixo
José Medeiros – voz, adufes, piano, batuque, viola acústica, strings
Elisa – voz
Vera Quintanilha – voz
+
Sérgio Mestre – flauta, voz
Rabanal – bateria
Rui Vaz – adufes, percussão, gaita-de-foles, bombo
Mário Ribeiro – viola acústica
Pedro Casaes – contrabaixo
Ed – percussão, triângulo

música – João Miguel (01, 05, 06, 08, 09, 10); José Medeiros (02, 03, 04, 09, 11); Eduardo Paes Mamede (07)
letra – José Medeiros (01, 02, 03, 04, 06, 09, 11); Luísa Mareante (05); João Manuel (06); José Fanha (07); Fernando Reis Jr. (08); João Miguel (09)

produção – Eduardo Paes Mamede

Uma boa parte da produção musical do Zeca Medeiros já está ali em baixo, naquele disco que agrupa as bandas sonoras de O Barco e o Sonho, Balada do Atlântico e Xailes Negros. Mas, nessa altura, o homem não era propriamente um novato dessas lides: começara por editar dois singles em nome próprio nos anos 70, integrando na década seguinte os Construção (que editaram um álbum numa editora de nome suspeito, a DisRego) e estes Rosa dos Ventos.
Se bem que a banda seja definitivamente açoriana, “Rimando Contra a Maré” é um disco de produção continental, numa editora das grandes, com técnicos e convidados não-ilhéus (destaque para a flauta de Sérgio Mestre, em grande forma na maior parte dos temas). Também a música se afasta da reconstituição fiel das formas populares açorianas e se aventura sem medos em exercícios que, à falta de melhor termo, chamaremos de fusão. Sobre uma matriz tradicional, a coisa desenvolve-se em várias direcções, desaguando por vezes em afloramentos jazzísticos, outras numa linguagem pop-ligeira, outras ainda no ocasional solo de guitarra santanesco.
O que salta à vista é, essencialmente, a fluência dos membros da banda em todos estes idiomas, a relativa adequação entre as peças do puzzle musical e a eficácia com que um meio periférico produz um disco indubitavelmente moderno, inserido no seu tempo – sem dever grande coisa ao que os Trovante, por exemplo, faziam em Lisboa na mesma altura. “Rimando Contra a Maré” não é uma obra-prima mas, no conjunto dos seus temas, é mais sólido e equilibrado do que grande parte dos discos de raiz tradicional que surgiram pelos anos 80 fora. Ou seja, vale a pena o sacanço.

14 comentários:

Eduardo F. disse...

Amigo, tens uma colecção invejável de discos com sono.

Obrigado por no-los acordares.

Um dia tudo estará mais completo.

Já agora, como sabes que são mesmo açorianos? Diz no disco de onde são (concelho), ou tem a morada do grupo?

Abraço.

Discos Com Sono disse...

Bem, agora que falas nisso, podem não ser mesmo todos açoreanos. O Medeiros é, a Elsa Quintanilha, também. De resto, deduzi.
As letras parecem indicá-lo ("A nossa terra é pequena e prisioneira do mar"...), a capa mostra o desenho de um arquipélago, algumas músicas são tradicionais açoreanas ("Em jeito de sapateia").
Alguém pode confirmar?

Eduardo F. disse...

O Serginho...

Uma vez, aqui há uns anos, o Vitorino, o Manuel Freire, o Fanhais e o Durval Moreirinhas deram um concerto em Mondim de Basto.

O Serginho estava lá.
Foi um concerto e uma noite memorável, de partilha, amizade, comunicação e paixão.

Passados alguns meses, ficámos sem ele. Deve ter sido um dos últimos concertos públicos que deu...

Podemos continuar a ouvir o seu "fluir" em canções do Adriano (para além do Ao Vivo no Coliseu, do Zeca - que foi reeditado - FINALMENTE - em DVD, há dias)

Abraço a todos.

Discos Com Sono disse...

Zeca ao vivo no Coliseu saiu em DVD?!

Grande novidade! Obrigado, Eduardo :-)

Eduardo F. disse...

Sim, amigo.
Podes ler aqui: http://vejambem.blogspot.com/2010/11/concerto-do-coliseu-de-lisboa-em-dvd-cd.html

E vem com o último álbum, Galinhas do Mato, que é um disco valioso na obra do Zeca. E que continua a passar despercebido na hora de escolher os melhores (da década, da música portuguesa, do Zeca).

Abraço.
Foi bom poder dar uma boa nova.
Obrigado.

csy disse...

Mais ao menos no mesmo período em que os Construção editam "Há Qualquer Coisa", vamos encontrar José Medeiros, então a viver em Lisboa, integrado no grupo Rosa dos Ventos, no qual se fez sentir também a mui inspirada presença do micaelense João Miguel.

ANTÓNIO MELO SOUSA / ILHAS DO SOM

(via http://anos80.no.sapo.pt/construcao.htm)

Discos Com Sono disse...

Pronto, uma banda de açorianos radicados em Lisboa.

Eduardo F. disse...

Ah, : "Em 1978, Aníbal Raposo regressa a S. Miguel onde com Luís Alberto Bettencourt, Emanuel Frazão, Carlos Frazão, Gil Alves, Luísa Alves e Zeca funda o grupo Construção."

Os Construção são açorianos. De S. Miguel.

Terão, provavelmente, nascido em Ponta Delgada (de onde é, aliás, a editora do senhor J. Rego (J. Rego & C.ª Lda.)

Não sabia que (o Lp dos Construção) tinha sido reeditado em Cd.

Eu tenho em vinil.

Também editado pela DisRego foi "O Feiticeiro do Vento", banda sonora da (série? filme?) do mesmo nome. Claro, como quase tudo o que lá é filmado, deve ter tido a presença do Zeca.

Esse álbum (tenho-o em Cd), de 1995, não tem qualquer menção, na capa, a quem quer que seja. Mas todas as músicas são cantadas por ele.

É mais um disco do José Medeiros, portanto. Só que escondido. :)

Discos Com Sono disse...

Lembro-me de sair a banda sonora do Feiticeiro do Vento e de ouvir dizer bem. Mas nunca o ouvi (e também acho que nunca o vi à venda).

Ó Eduardo, que tal fazer um ripanço desse disco e dar-me a oportunidade de o ouvir? :-)

Eduardo F. disse...

Amigo, ripei-o mas reparei que ficou em mp4. Há problema? Depois zipo-o e venho cá indicar a porta aonde ir bater.
:)

Discos Com Sono disse...

Obrigado, Eduardo, mp4 serve perfeitamente!

Eduardo F. disse...

Amigo, acabei por fazer novo "surripianço" e pus em mp3...

Ei-lo:
http://rapidshare.com/files/436159238/V__rios_-_O_Feiticeiro_do_Vento.zip

:)

Discos Com Sono disse...

Obrigado, Eduardo! Vou já sacar e ouvir! :-)

Filipe Rebelo disse...

Tenho esses discos em vinil, o dos Construção e este da Rosa dos Ventos, comprei-os na altura, fresquinhos acabadinhos de sair. Estão impecáveis, sem máculas. Os musicos são quase todos açorianos e há continentais a viver nps açores e açorianos a viver no continente. A "matriz" é açoriana, mas tem nuances.