domingo, 28 de fevereiro de 2010

Linha Geral – Linha Geral (Ama Romanta, 1988)



sacar

01. Porque os Outros
02. Dança de Sombras
03. Formas Estranhas
04. Coro Jovem
05. Auto de Fé
06. Sinais no Tempo
07. Ousadia
08. Riscando os Céus

Carlos Manso – voz, guitarras
Fernando Soares – bateria
Tiago Lopes – guitarras
Pedro Alvim – baixo
+
Nuno Rebelo – piano, guitarra, sampler, coros
João Peste – coros

Produção – Nuno Rebelo

Vinte e dois anos passados sobre a sua edição, a sombra que o disco dos Linha Geral continua a estender sobre nós permanece um dos grandes enigmas da música pop feita em Portugal. São uns míseros 21 minutos de canções, uma banda que nem cinco anos durou, quatro músicos de que não se conhece o paradeiro. E todo um país (sim, todo) que sempre que os Linha Geral rodam no gira-discos, se põe de olhar vago não se sabe onde, a suspirar não se sabe porquê. Diz-se que a banda era comuna, revolucionária até, mas a verdade é que, nos Linha Geral, o que se ouve não é o panfletismo marxista do costume; a lírica inflamada e visionária do vocalista Carlos Manso não se compadece dessas coisas, e sempre que canta “a secreta caminhada”, “a hora prometida”, “o gesto decidido”, “o futuro que se anuncia” ou “a ilusão que se desvanece”, os corações atlânticos à beira-mar plantados reverberam de outras coisas que não somente a esperança na sociedade sem classes. Rasgando o rumo do futuro mas deixando-o por nomear, a banda alcança o efeito máximo – é preencher os espaços em branco e fazer a ponte entre a revolta proletária de um José Mário Branco e os sonhos de glória imperial de uns Heróis do Mar. Esta é a música que nos aguenta até ao Advento; seja ele o da Revolução, do Quinto Império ou da Segunda Vinda, o disco que vai estar a rodar nessa altura será o dos Linha Geral.

19 comentários:

Tatiana Carvalho disse...

Ainda por cima o legenda que deixam para cada album é-me muito familiar, como se fosse eu pensar e falar.
"seja ele o da Revolução, do Quinto Império ou da Segunda Vinda, o disco que vai estar a rodar nessa altura será o dos Linha Geral."

Eduardo F. disse...

Incrível.
Como tendes este disco.

Criminoso.
Como este disco não existe em cd.

Anónimo disse...

Excelente trabalho que tens vindo a desenvolver, parabéns!


Carlos Faria

Pedro disse...

parece-me ser este o lugar certo para perguntar: o que é feito do pedro oliveira dos sétima legião?

Eduardo F. disse...

O Pedro penso que esteve nos Cindy Kat...

Pedro disse...

obrigado.

Paulo Martins disse...

Viva! Tudo bem?
Disco sublime e dos melhores alguma vez editados em Portugal!!!
É quase um disco secreto, um sonho sussurrado...
A qualidade do registo é directamente proporcional ao semi-obscurantismo a que ele tem sido votado...
Um grande abraço e continuação de excelentes postagens,
Paulo Martins

P.S.: Não está, nos objectivos futuros, prevista a divulgação de demos e concertos, essas raridades que teimam em permanecer ocultas?

ghost.vinyl disse...

Bem, vou aproveitar para fazer outra vez a pergunta para os arquivistas e outros fanáticos das listas, listagens e discos perdidos: o raio do Amro20 existe em vinil? Se existe é que disco? (o "Arriva Avanti Pop dell Arte" a que costuma ser atribuído esse número aí pela net só saiu em CD, que eu saiba...)

Eduardo F. disse...

Também nunca vi o Arriba Avanti em vinil... (mas também nunca vi o dos Linha Geral...)

Carlos disse...

Pois, eu conheço os lançamentos todos da Ama Romanta (enquanto selo autónomo, dos nrs 1 ao 21) e nunca vi este nr. 20... Queria mesmo era que alguém comprovasse a sua existência e se é realmente o Arriva Avanti =)

Discos Com Sono disse...

O AMRO20 não existe. O Peste confirmou-me isto em tempos, acho que foi uma confusão qualquer com a numeração das edições.
O Arriba Avanti nunca saiu em vinil, só em CD, com a referência AMROCD02 (sendo o AMROCD01 a primeira edição em CD do Free Pop).
Há ainda duas ou três edições de discos estrangeiros (o Bel Canto do Pascal Comelade, por ex), cujas referências começam por ARI (talvez acrónimo de Ama Romanta Internacional, ou coisa que o valha).

Carlos disse...

Ahhhhh. Bem me parecia! lembro-me do lançamento dos CD's (que se tornavam norma na altura em Portugal) e não me recordava de nenhum vinil do Arriva Avanti. Aliás até tenho ideia que estes dois CDs saíram depois da Ama Romanta ter lançado o último disco como selo autónomo (o Blue Record)...

Ainda fez alguns lançamentos com a Variodisc entre 91 e 93, (Maxi e MiniLP dos Pop dell Arte e LP dos More Republica Masónica. O LP dos Telectu "Mimesis" costuma ser creditado à Variodisc /Amro, mas acho que foi editado pela Transmedia... confirmas? =)

Ah, e sim existem esses dois lançamentos da ARI. também tinha a ideia de serem 3 mas não me recordo de mais nenhum...

Eduardo F. disse...

Bem... peço desculpa pela falha.

É que me esqueci de dizer que o texto de apresentação a este disco está muito bem conseguido.

Parabéns e obrigados nós.

JS disse...

os CDs do Arriba e da 1ª edição do "Free Pop" (c/ capa igual ao vinil) são da Variodisc, que ficava num transitário na Rua dos Bacalhoeiros e que andou por cá pouco tempo. Foi nessa morada que eu fui buscar esses discos + o 12" do "MC Holly".

Discos Com Sono disse...

JS: esses CDs não têm qualquer referência à Variodisc, dizem apenas Ama Romanta.

Os discos de Pop dell Arte que saíram com o selo Variodisc/Ama Romanta foram o MX-S 2002/MCHoly e o EP Ready Made. Com esse selo saiu ainda o EP More More More, dos More República Merdónica. Todos em vinil.

filinto disse...

Este álbum é uma preciosidade, que oferecerei ao meu filho quando ele tiver idade para o perceber.

Anónimo disse...

Há anos que anadava à procura disto... anos! Obrigadíssimo!

Teresa Geada disse...

Excelente texto sobre os Linha Geral, banda que segui de perto.
Brilhantes, sem dúvida!

Anónimo disse...

Capa: Nuno Leonel