sexta-feira, 13 de junho de 2008

Rui Júnior – O Ó Que Som Tem? (Diapasão, 1983)



sacar

1. Recolhimento
2. Transição / Samba / Assim Sim
3. Incerteza
4. Capoeiro (A Minha Angústia)
5. Mobby Dick (Dominique)
6. Intro / Malhoa
7. Marimbando (A manada que passa à minha porta, e o meu adufe)
8. Frase Feliz
9. Eira
10. Carolina Vem À Varanda

Rui Júnior
Rui Vaz
José Martins
José Salgueiro
Fernando Molina
João Nuno
+
Janita Salomé, Tó Sequeira, Carlos Loureiro, Tânia, Dá, Mina

(demasiados instrumentos para especificar quem toca o quê…)

Produtor delegado – Rui Júnior
Captação de som e misturas – José Fortes

O primeiro disco do grupo de percussão liderado por Rui Júnior transporta-nos para um tempo que quase nos custa a acreditar. Um tempo em que uma editora relativamente grande arriscava um disco sem canções, quase só com instrumentos de percussão, sem temas que pudessem dar singles nem sequer ser cantarolados, e onde a banda não contava com gajas boas – eram só gajos, aliás, uns barrigudos, outros de bigode, e nenhum com sex-appeal suficiente para o teledisco (embora oiça dizer que há por aí umas fãs do José Salgueiro…). Haveria nessa altura um mercado para a música experimental de percussão com raízes tradicionais, ou a Diapasão fez o disparate de editar um disco só porque era bom?...
Enfim, choraminguices à parte, O Ó Que Som Tem? não é, hoje em dia, um disco de audição fácil, desafiando o comum preconceito de que a percussão não é para ser ouvida com ouvidos de ouvir mas antes para elicitar estados de euforia e abanar a carola. De facto, as reviravoltas que Rui Júnior dá a temas tradicionais portugueses (com umas brasileirices pelo meio) poucas vezes nos levam ao headbanging. O que pedem é atenção à forma como as marimbas se cruzam com os adufes em “Marimbando”, disponibilidade para apreciar os arranjos intrincados de “Intro / Malhoa” e mesmo alguma pachorra para os vários minutos de solo de berimbau em “Capoeiro”. Para não dizer que é um disco muito cerebral, “Carolina Vem À Varanda” ainda dá para saltitar.
Após o primeiro álbum, os elementos do grupo dispersam-se por inúmeros projectos e O Ó Que Som Tem? fica 12 anos sem gravar. Rui Vaz fundaria mais tarde os Gaiteiros de Lisboa, José Salgueiro continuaria a sua carreira de superestrela percutiva (Trovante, Sérgio Godinho, Zeca Afonso, José Mário Branco, Gaiteiros de Lisboa, Quarteto João Paulo, Tim Tim Por Tim Tum,…), e Fernando Molina acompanharia Rui Júnior – até hoje – em vários grupos. O excelente “Ó Tambor” só surgiria em 1996, seguido dois anos depois pelo menos feliz “O Mundo Não Quer Acabar”. Rui Júnior, entretanto, arranca com o “Tocá Rufar” e põe a miudagem de meio Portugal a fazer precisamente isso – parece que já são mais de oito mil. Não fosse ele um bocado comuna e o Cavaco já lhe tinha dado uma medalha…

9 comentários:

Azathoth disse...

interessante a capa, pois tem semelhanças com a do 1ª EP dos Joy Division:
http://en.wikipedia.org/wiki/An_Ideal_for_Living

A.Caeiro disse...

Ainda me lembro deste LP.
Bom disco!

Discos Com Sono disse...

bem visto, azathoth :-)

Anónimo disse...

Este blogue é que se continua assim vai receber uma medalha. Serviço público de elevada categoria.

Obrigado.

Anónimo disse...

O Cavaco é que quer saber de música. esse só liga a economia(e à dos grandes)
Temnos um Presidente assim...

Spinafro disse...

obrigado

Die Spellbound disse...

Obrigado!!!
Ando há anos à procura deste album!!!

Anónimo disse...

Eu tenho, :-)

Dr. Bell Otus disse...

Não és o único :-)